Como desenhar e pintar flores

Desenhar e pintar flores pode dar a impressão de ser algo relativamente fácil. Na verdade, porém, elas constituem um dos motivos que maiores armadilhas colocam para os principiantes.

A principal dificuldade da pintura de flores está na interpretação. Às vezes, a liberdade de tratamento é levada longe demais, comprometendo o desenho – e o resultado acaba sendo um borrão colorido, que transmite muito pouco ao observador.

Por outro lado, se o trabalho de desenho for excessivamente detalhado, a pintura acabará perdendo sua força e correrá o risco de ficar parecida com uma ilustração de enciclopédia de botânica.

A solução está em ser seletivo. Assim, decida desde o início qual o aspecto de seu motivo floral que você deseja enfatizar, e então procure desenhá-lo com precisão.

como desenhar e pintar flores
Aquarela de José Mianutti

Como fazer uma composição floral

Vale a pena observar os pontos descritos a seguir, ao compor uma pintura de flores. Evite, porém, enfatizar mais de dois deles na mesma pintura, pois você correrá o risco de perder de vista seus objetivos principais.

Cores: Flores permitem combinações de cores praticamente ilimitadas. Mas, para obter melhores resultados, siga um esquema de cores definido.

Cores harmoniosas sempre ficam bem em pintura de flores, mas áreas uniformes de cores primárias e secundárias podem criar um efeito muito mais vívido e audacioso, desde que as combinações sejam mais simples. 

Siga o exemplo do pintor fauvista Henri Matisse e experimente pares de cores complementares simples (como vermelho e verde). Minimize os detalhes botânicos, para que as cores possam falar por si mesmas.

Pintura de Henri Matisse, 1907.

Formato da corola: Muitas vezes o formato da corola das flores é mais interessante que suas cores. Neste caso, concentre-se nele e deixe a folhagem apenas sugerida.

Procure reproduzir corola de flores em diferentes estágios de abertura e coloque nas pétalas algumas gotas de umidade, que refletem a luz.

Folhagem: A variedade de formas e cores encontradas na folhagem, oferece bom campo para exploração artística. O emaranhado de folhas às vezes forma padrões de cor complexos e dá oportunidade de trabalhar com uma variedade de verdes sutis.

Em outras ocasiões, as formas são fortes e definidas e você pode realçá-las colocando-as contra um fundo claro e suavizado.

Contrastes tonais: Em um arranjo de flores, os padrões de luz e sombra são, em geral, bastante acentuados e podem ainda ser exagerados, para dar maior impacto à composição.

Texturas: Cabos lisos, folhas brilhantes, pétalas delicadas semitransparentes: tudo isso pode ser aproveitado para criar uma pintura centrada no contraste de texturas.

O procedimento de desenho e pintura de flores

Antes de mais nada, vale a pena gastar um pouco de tempo observando a imagem, ou mesmo montando seu próprio arranjo de flores; para ressaltar as qualidades que você quer enfatizar em sua pintura.

Em seguida, faça um esboço preliminar que capte esses detalhes; mas não se preocupe demais com a precisão de detalhes nesta etapa.

Finalmente, aplique a tinta, estudando muito bem cada pincelada antes de aplicá-la. Faça revisões na tela, ou papel, a intervalos frequentes, para conservar a unidade da pintura.

Pintura de Clayton Harold

Pinceladas para flores

Além de cuidar muito bem da composição, para o sucesso da pintura de flores, é preciso dar especial atenção à maneira de aplicar a tinta sobre a tela, ou papel.

Se sua intenção é enfatizar a cor, procure fazer um trabalho simples de pincel, deixando assim que a força de seu desenho capte a atenção do observador.

Mas se você prefere um resultado final mais realista, suas pinceladas terão que apresentar grande variedade de texturas e efeitos.

Como regra, é melhor trabalhar do escuro para o claro (caso você esteja usando tinta a óleo ou acrílica) – em outras palavras, da folhagem para as corolas das flores – de modo que suas pinceladas finais possam ter reflexos fortes e grossos, aplicados sobre as camadas subjacentes, permitindo assim que elas reflitam a luz característica dos arranjos florais.

Também vale a pena guardar suas pinceladas mais vívidas para as áreas que você quer enfatizar, deixando as cores restantes mais ralas e uniformes.

Isto se aplica particularmente ao fundo, que pode facilmente competir com o delicado motivo do primeiro plano e deixar a pintura sem profundidade.

ACESSE OS MEUS CURSOS DE DESENHO E PINTURA NO MENU LATERAL DO SITE OU NO MENU SUPERIOR. TODOS OS CURSOS SÃO VOLTADOS AOS INICIANTES!!!

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *