Como obter contrastes

Tempo de leitura: 3 minutos

Se você observar com atenção o ambiente que o rodeia, notará que contém uma infinidade de contrastes. Claro e escuro, curvo e reto, liso e áspero e outras qualidades opostas estão ali, disputando sua atenção.

Procure reproduzir no desenho ou na pintura esse jogo de contrários. Planeja uma composição baseada em contrastes fortes, ou acentue-os para obter mais efeito e, automaticamente, criará tensões e contrapontos, que prenderão o olhar do observador.

Pintura de James Valerio

É possível explorar os contrastes fortes de várias maneiras. Numa natureza-morta ou num retrato, por exemplo, você pode criá-los com a simples escolha do assunto, ou, mais sutilmente, por meio do arranjo e da iluminação dos diversos elementos.

À primeira vista, as paisagens parecem oferecer menos opções, mas se as examinar bem, você descobrirá nelas numerosos contrastes. Ajuste seu ponto de vista para conseguir padrões de sombras, interações de formas e combinações de cores mais interessantes. E não esqueça que , como artista, você está livre para reforçar os contrastes. Óleo e água não se misturam, mas, na tela ou no papel, suas contrapartes visuais certamente se unem muito bem.

Pintura de Caravaggio

Grandes mestres da pintura, como o holandês Rembrandt Van Rijn e o italiano Caravaggio, fizeram largo uso do chiaroscuro – o forte contraste de claro e escuro – para dar dramaticidade e tensão a suas obras.

A maneira de lidar com a luz pode mudar completamente um trabalho, tornando-o banal e insípido ou, ao contrário, interessante e original. Assim, quando planejar uma composição, pense bem na forma como vai usar aluz. Procure imaginar o quadro como um palco, onde você vai iluminar a estrela: o centro de interesse.

O recurso do chiaroscuro pode ser utilizado tanto no estúdio, onde uma iluminação cuidadosa ajuda bastante a produzir o efeito desejado, como ao ar livre. O sol forte atravessando as árvores de um bosque, as luzes dos edifícios brilhando à noite são algumas das inúmeras possibilidades de usar o chiaroscuro na pintura ao ar livre.

Ao lançar mão desse recurso você precisa controlar habilmente os tons.Coloque os tons mais claros junto aos bem escuros, para que pareçam mais claros ainda. Evite, contudo, restringir-se a dois tons: o segredo do chiaroscuro consiste em trabalhar gradações sutis dos dois lados da escala tonal, de modo que os claros vibrem e os escuros ganhem interesse.

Pintura de José Mianutti. Giz Pastel sobre papel. 21 X  30cm. 2018.

Formas contrastantes: grossas e finas, verticais e horizontais, angulosas e cilíndricas, conferem dinamismo a uma composição. Procure vê-las como massas e contornos e não deixe de considerar as “formas negativas”, que automaticamente se delineiam a seu redor. Dessa maneira, você pode ajustar os vários elementos como numa colagem, até compor um todo harmonioso e integrado.

Não se limite às formas dos objetos. Luz e sombra produzem formas próprias, e geralmente as formas das sombras são mais interessantes que as dos objetos que as projetam. Mas não é só com as formas que você pode jogar para dar maior impacto à composição: marcadas diferenças de padrão também contribuem para alcançar tal objetivo.

Desenho de José Mianutti. Esferográfica sobre papel. 21 X 30 cm. 2018.

Essencialmente opostos, o preto e o branco oferecem infinitas possibilidades para estabelecer contrastes fortes em desenhos. A colocação das formas e dos padrões é fundamental: o branco do papel permite-lhe criar formas fortes e escuras, entremeadas por interessantes espaços negativos.

Curso Básico de Desenho para Iniciantes: https://www.udemy.com/curso-basico-de-desenho
Curso de Aquarela para Iniciantes: http://www.udemy.com/curso-de-aquarela
Curso de Giz Pastel para Iniciantes: https://www.udemy.com/como-usar-giz-pastel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *