Pintura de marinhas

Aquarela e acrílica sobre papel de José Mianutti

O mar constitui um dos motivos favoritos de boa parte dos pintores, havendo muitos, como o brasileiro José Pancetti, que lhe dedicaram a maioria de seus trabalhos.

Contudo, reproduzir sobre tela ou papel o movimento incessante do mar não é uma tarefa simples, embora algumas providências básicas possam ajudá-lo bastante a tornar-se um marinhista de sucesso.

Planeje a pintura

Qualquer que seja o motivo que você pretende pintar, observe-o bem antes de iniciar o trabalho e planeje com cuidado todas as etapas de execução. Tratando-se de marinhas, a melhor abordagem consiste em pintar diretamente sobre a tela, sem desenhar os detalhes de antemão.

Às vezes, é melhor trabalhar de memória, pois o movimento da água constantemente altera a aparência do motivo.

Ao contemplar a cena, atente para os padrões repetitivos das ondas, da espuma e dos reflexos. Esses padrões são muito complexos; assim, selecione-os com cuidado e procure memorizá-los, para facilitar sua tarefa.

Observe também as diferentes tonalidades do mar, sobretudo nas ondas; modele estas com precisão, para parecerem tridimensionais.

Depois de analisar bem o motivo, esboce as ondas, pedras e demais elementos que você selecionou. Não se preocupe ainda em desenhar os detalhes das formas, porém, verifique se a perspectiva está correta. Determine a estrutura tonal, pintando a base dos claros e escuros.

Aquarela e acrílica sobre papel de José Mianutti

O movimento do mar

Ao pintar, lembre-se de que, mesmo quando calmo, o mar não apresenta um único tom geral; o vento, por mais leve que seja, agita a superfície e cria ondulações, que possuem áreas de luz e sombra. Assim, não deixe de variar os tons do mar: as mudanças tonais o ajudarão a captar o efeito de movimento.

Ao mesmo tempo, não seja meticuloso demais. Não procure colocar na tela todos os detalhes da cena. É melhor pintar, por exemplo, duas ou três ondas e deixá-las representar as restantes do que sobrecarregar o quadro com uma dúzia de ondulações.

Atenção para a cor!

A cor do mar depende do céu e das condições do tempo. Num dia claro e ensolarado, ele pode ser de um azul intenso, semelhante ao do céu. Num dia nublado, assume, em geral, uma tonalidade cinzenta, reflexo das nuvens carregadas.

Trabalho de pincel em ondas

A pincelada é a chave para transmitir o movimento do mar. Em geral, a maior atividade está no primeiro plano, onde você deve aplicar pinceladas curtas e vigorosas, na mesma direção em que se orienta o movimento da água.

Pinceladas para cima captam o movimento circular e ascensional da onda antes de quebrar-se, enquanto pinceladas em curva para baixo sugerem a força da onda em direção ao fundo.

Para pintar o mar distante, faça pinceladas longas e horizontais, cada vez com menos detalhes.

Aquarela e acrílica sobre papel de José Mianutti

ACESSE OS MEUS CURSOS DE DESENHO E PINTURA NO MENU LATERAL DO SITE OU NO MENU SUPERIOR. TODOS OS CURSOS SÃO VOLTADOS AOS INICIANTES!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.