Relações entre cor e emoção

Tempo de leitura: 2 minutos

Cor e Emoção

Acrílica sobre papel de José Mianutti

Um dos aspectos mais gratificantes da pintura é a oportunidade de expressão pessoal que ela oferece. Trabalhar com as próprias emoções e impressões ou dar uma interpretação particular a determinado tema conferem à obra um toque característico.

A maneira mais direta de conseguir esta expressão em uma pintura é utilizar cores que correspondam à atmosfera emocional que se deseja transmitir. Frequentemente, isso significa rejeitar as cores que você vê a sua frente em favor de outras que refletem com maior precisão sua resposta emocional à cena.

As possibilidades de expressar suas impressões por meio de esquemas de cores são particularmente infinitas. Experimente imaginar, por exemplo, que você está pintando uma sala. Esqueça as cores verdadeiras das paredes, dos móveis, e assim por diante, e pense apenas no tipo de paleta que melhor refletiria sua resposta emocional à sala.

Se a sala tem uma atmosfera confortável, caseira, uma paleta baseada em marrons e alaranjados poderá ser bem representativa; ao contrário, se você imaginar um ambiente hostil, uma predominância de azuis e amarelos-limão poderá ser mais adequada. Da mesma maneira, um quarto que não traga boas recordações poderá ser trabalhado em pretos e cinzas. Em um lugar de tensão, como a sala de espera do dentista, constitui um bom pretexto para lidar com cores completamente discordantes.

Acrílica sobre papel de José Mianutti

Ao escolher cores de acordo com suas impressões subjetivas, não se esqueça que seu trabalho deve conservar uma estrutura cromática. Portanto, avalie cuidadosamente sua escolha em termos de composição, a fim de que as cores não deem a impressão de terem sido simplesmente “jogadas” na tela ou no papel.

Os pontos a seguir merecem atenção:

Uso do branco: As cores sempre provocam maior impacto quando colocadas sobre áreas brancas;

Cores neutras: Áreas de cinza ou marrom podem ter a mesma função que as áreas em branco.

Cores complementares: Outra maneira de acentuar o impacto de suas cores é estruturá-las em torno de um esquema de cores complementares, que quase sempre se intensificam mutuamente quando vistas lado a lado.

Lembre-se destes pontos-chaves ao se expressar por meio de cores:

  1. Deixe a mente aberta: pinte o que sente, e não apenas o que vê.
  2. Preserve a estrutura cromática, colocando as cores de maneira que deem ritmo à composição.
  3. Evite que o esquema geral de cores fique confuso demais.

Acrílica sobre papel de José Mianutti

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *