Cores complementares

Tempo de leitura: 2 minutos

Acrílica sobre papel de José Mianutti
Acrílica sobre papel de José Mianutti

Como as cores complementares se opõem umas às outras no círculo cromático, alguns iniciantes imaginam que elas não se relacionam – que colocando-as lado a lado, não obterão um resultado harmônico. Na verdade, as cores complementares se relacionam tão bem que você pode basear todo o esquema cromático de sua pintura em apenas um par delas. O efeito que irão produzir depende de como você trabalha, tanto nas misturas como ao distribuir as cores.

Cores complementares são ligadas de maneira física, pois os cones de seus olhos, ao serem estimulados para a percepção de uma determinada cor, tendem a “procurar” naturalmente a cor complementar. Para comprovar isso, fixe os olhos num objeto vermelho durante meio minuto e, a seguir, olhe para uma folha de papel em branco: você verá uma pós-imagem verde do objeto.

Na prática, esta relação funciona de diversas maneiras. Um ponto muito importante é que as cores complementares intensificam-se mutuamente, portanto, quando colocadas lado a lado, ambas parecem mais vivas. Em casos extremos, quando as cores são usadas com sua força total, e aparecem em quantidades iguais, elas podem criar um efeito discordante, até incômodo.

A intensificação mútua das cores complementares tem um efeito colateral útil: ela melhora a impressão de luz. Você pode aproveitar esse efeito pintando os reflexos de luz com uma cor complementar, em vez de usar o branco, criando assim uma atmosfera mais vibrante.

Aquarela e acrílica sobre papel de José Mianutti
Aquarela e acrílica sobre papel de José Mianutti

As sombras também podem se beneficiar deste efeito. Como todas elas contém a complementar da cor que estão projetando, você pode incluir matizes dessa cor complementar para tornar os escuros mais luminosos. Se você gosta de soluções mais arrojadas, experimente tratar a luz e sombra em termos de cores diferentes (em vez de usar simplesmente preto e branco), aproveitando, assim, a força das cores complementares, para dar maior interesse à pintura. Por exemplo, pinte de verde a sombra de um objeto vermelho-vivo, ou use alaranjado no lado claro de uma caixa azul. Pintar cores quentes, vivas, contra um fundo de cor complementar, de tom mais baixo, ou vice-versa, faz com que os elementos da composição se projetem. Você pode também acrescentar toques de uma cor nas áreas ocupadas por sua complementar, para que as massas de cor cintilem mas permaneçam unificadas na pintura. Lembre-se que o segredo do uso eficiente das cores complementares está na mistura, e que cada par oferece um número infinito de variações.

Curso de Aquarela para Iniciantes: http://www.udemy.com/curso-de-aquarela

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *