Giz pastel: o que é e como usar

Tempo de leitura: 4 minutos

A palavra “pastel” passou à linguagem cotidiana como sinônimo de cor clara e suave. Mas, na verdade, a pintura com giz pastel pode ser muito ousada e forte.

Esse material permite incontáveis possibilidades artísticas, e pode ser eficientemente usado para esboços rápidos ou para trabalhos mais acabados.

Embora existam desde o século XVI, o giz pastel só começou a ser usado em grande escala com os impressionistas, no final do século XIX. Já se disse que quando artistas como Edouard Manet, Pierre August Renoir, Edgar Degas e Marry Cassat trabalhavam com esse material, “Deus sorria no paraíso e os pastéis, libertos de todo peso, alçavam vôo”.

Dos trabalhos realizados por esses mestres, provavelmente os mais conhecidos hoje são os estudos de bailarinas feitos por Degas. Ele explorou a fundo as possibilidades do giz pastel, conseguindo às vezes texturas realmente notáveis.

giz pastel
Fonte: Google Imagens

Como o giz pastel é aplicado diretamente sobre o papel, presta-se a um tratamento muito especial, que resulta na textura aveludada tão apreciada pelos aficionados da pintura. Tais qualidades fazem dele um material particularmente adequado à realização de retratos, embora muitos artistas o utilizem também em paisagens e naturezas-mortas.

Na verdade, pode-se empregá-lo em qualquer tipo de trabalho artístico, inclusive combinando-o com outras técnicas, como carvão, aquarela, guache, tinta acrílica ou tintas à base de água, com ótimos resultados.

É mais fácil aprender a trabalhar com giz pastel do que com aquarela ou tinta a óleo. O processo limita-se à aplicação de giz sobre papel, de modo que não há complicações envolvidas; tampouco há grandes preparativos ou misturas a fazer. Basta pegar o bastão da cor desejada e aplicar sobre o papel.

O trabalho com esse material traz algumas interessantes vantagens. Por exemplo, não precisa esperar secar – afinal, o giz pastel já é seco em si. Além disso, a aparência final de cada tom usado é igual à de origem, diferentemente do que costuma ocorrer com óleo e aquarela, cujas cores alteram-se com a secagem. Graças a isso, você pode seguir seu ritmo, sem preocupação com a rapidez.

giz pastel
Giz pastel sobre papel, de José Mianutti

O que é giz pastel

Os mesmos pigmentos usados na aquarela servem para a fabricação do pastel. Em geral, eles são misturados a um agente aglutinante, como goma de alcatira, também conhecida como tragacanto. Depois, combina-se a mistura com quantidades variáveis de giz branco (para tons mais claros) ou preto (para os mais escuros).

Tipos de giz pastel

Os pastéis moles ou macios são os mais fáceis de usar. Neles o giz e o pigmento estão aglutinados sob menor pressão do que nos pastéis duros e nos pastéis a óleo. Assim, produzem um efeito aveludado e delicado, quando aplicados sobre o papel.

Os lápis-pastéis permitem fácil manuseio. Servem para os detalhes mais delicados de trabalhos com pastéis macios, ou para desenhos.

Os pastéis duros de uso mais difícil, pode ser apontado com estilete. Usa-se da mesma forma que os lápis-pastéis.

Os pastéis a óleo não possuem a textura aveludada dos macios. Para aplicá-los, é necessário uma pressão ligeiramente maior. Também não é tão fácil misturar as cores umas às outras. Além disso, não podem ser utilizados com outros tipos de giz pastel.

Giz de cera comum é próprio para o desenho infantil. Alguns artistas contemporâneos utilizam giz de cera de maior qualidade.

giz pastel
Fonte: Google Imagens

A escolha das cores

Há inúmeras cores disponíveis, cada qual com diferentes tonalidades. Todas elas são permanentes como as das tintas a óleo.

Enquanto as cores de óleos e aquarelas devem ser misturadas na paleta, as dos pastéis são aplicadas diretamente no papel. para obter bons resultados com eles, é suficiente que você disponha de certa variedade de cores e tons. 

Para começar, basta contar com um estojo com cerca de trinta cores diversas. Mais tarde, vá aumentando o seu acervo.

O papel

É a superfície mais comumente usada para trabalhos em pastel. O giz pastel para este tipo de pintura é vendido em diversos tamanhos, cores e texturas. À medida em que for exercitando essa técnica, você descobrirá quais os efeitos que pode obter com diferentes tipos de giz pastel e de papel.

Como guardar os bastões

Se você quiser que seus pastéis durem bastante, tenha especial cuidado no modo de guardá-los. Deixando-os de qualquer jeito, eles vão se estragando com o tempo; ficam cobertos uns pelo pó dos outros, até que se torna difícil distinguir-lhes as cores.

Ao terminar de usá-los, coloque cada bastão na caneleta própria do estojo. Há quem prefira guardá-los em latinhas, uma para cada grupo de tonalidades da mesma cor; mas há o risco de ficarem empoeirados com o tempo.

Um bom modo de limpar os bastões é sacudi-los delicadamente dentro de uma caixa cheia de arroz.

giz pastel
Fonte: Google Imagens

 E você, quer aprender na prática como usar giz pastel?
CONFIRA MEUS CURSOS DE DESENHO E PINTURA NO MENU LATERAL OU NO MENU SUPERIOR DO SITE =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *