Tudo sobre cor – Disco Cromático

Tempo de leitura: 3 minutos

Disco cromático
Disco cromático

Toda cor possui três características: matiz, tom e intensidade.

Matiz é a característica que define e distingue uma cor. Vermelho, verde ou azul, por exemplo, são matizes.

Tom refere-se à maior ou menor quantidade de luz presente na cor. Quando se adiciona preto a determinado matiz, este se torna gradualmente mais escuro, e essa gradações são chamadas de escalas tonais. Para se obterem escalas tonais mais claras, adiciona-se branco.

Intensidade diz respeito ao brilho da cor. Um matiz de intensidade alta ou forte é vívido e saturado, enquanto o de intensidade mais baixa ou fraca, caracteriza cores apagadas ou cores pastéis. O termo “apagado” utilizado neste sentido, não significa mortiço ou sem graça, apenas o contrário de “vívido” ou “intenso”.

Escalas tonais
Escalas tonais

Cores primárias são as que não podem ser obtidas a partir de outras: magenta, cyan e amarelo.

Cores secundárias são aquelas obtidas pela mistura de duas cores primárias. O verde, por exemplo, vem da mistura do cyan e amarelo.

Cores terciárias são as cores obtidas pela mistura de uma cor primária com uma ou mais cores secundárias.

Cores complementares são as que se encontram em oposição no disco cromático. Note que uma cor primária é sempre complementada por uma cor secundária.

Temperatura designa a capacidade que as cores possuem em parecer quentes ou frias. Quando se divide o disco cromático ao meio, com uma linha cortando o amarelo e o violeta, nota-se que os vermelhos e laranjas de um lado são mais quentes e vibrantes. Já os verdes e azuis do outro lado, são cores frias e transmitem uma sensação de tranquilidade.

Cores análogas são as que aparecem lado a lado no disco cromático. Há nelas uma mesma cor básica.

Cores neutras ao misturar duas ou mais cores do disco cromático, de forma diferente das descritas acima, obtém-se uma nova série de cores chamadas “neutras”. Quando se fala em cor neutra, em geral pensa-se nos cinza e marrons. No entanto, do ponto de vista técnico, as cores neutras incluem os amarelos acinzentados, os vermelhos, laranjas e violetas amarronzados, os verdes e azuis cinzentos e outras cores intermediárias que compõem muitos dos matizes com os quais convivemos diariamente.

Para criar essas cores a partir das presentes no disco cromático, basta misturar as três cores primárias, ou qualquer par de cores complementares. Um problema quando se usa este método é que a combinação entre as cores complementares pode resultar em cores opacas e apagadas. Isto pode ser evitado misturando uma cor com outra próxima da sua complementar.

Ajustando as cores

Quando ajustar as cores para chegar a uma proporção que lhe dê a cor ideal, proceda gradualmente e com cuidado. Ao invés de acrescentar um pouco de branco para alterar uma cor clareando-a, experimente adicionar uma cor próxima. Por exemplo: misture carmin-alizarin a vermelho-cádmio, ou vermelho-cádmio a laranja-cádmio, obtendo uma gama de vermelhos.

Lembre-se que o disco cromático não é um instrumento científico. As cores mostradas não são puras, e servem apenas como um referencial. O disco pode ser feito com qualquer material: lápis de cor, aquarela, óleo ou giz pastel. Mas as cores pintadas nunca terão a pureza do espectro cromático, como num arco-íris.

ACESSE OS MEUS CURSOS DE DESENHO E PINTURA NO MENU LATERAL DO SITE OU NO MENU SUPERIOR. TODOS OS CURSOS SÃO VOLTADOS AOS INICIANTES!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *